Lisboa, uma bela cidade cheia de história.


Indo para Espanha, dei uma parada em Lisboa com os Amigos Álvaro e Carla. Conhecemos rapidamente a capital lusitana. Gostei muito da cidade!
Esse é imperdível! Pastel de Belém ‘original’, com quase 200 anos de tradição, rapaz que delícia! Procurei lá também um pastel de carne de sol na nata, mas não encontrei.

Praça do Comércio, que tem esse nome mas sem nenhum camelô por perto.
Ao fundo o Arco da entrada da Rua Augusta. Dizem que está rua a noite vira um inferninho, ou será que estou confundindo?
Patrimônio Cultural da Humanidade, essa é a Torre de Belém. Só pra não confundir, não tem nada a ver com capital do estado do Pará, norte do Brasil.
Castelo de São Jorge. De lá se tem um vista linda da cidade e do Rio Tejo.
Com um canhão desse tamanho, o santo era meio ‘brabo’ néra?
Essa obra prima da arquitetura Manuelina que combina o Gótico com o Renascentista é o Mosteiro dos Jerônimos, que além de pertencer a essa quantidade imensa de pessoas chamadas Jerônimos, também é um Patrimônio Cultural da Humanidade.
Ao fundo sobre o Rio Tejo, a suntuosa Ponte 25 de Abril, muito parecida com a Golden Gate de São Francisco, não acham? E com um esforçozinho, também com a Ponte Nilton Navarro em Natal/RN.

Lisboa tem cerca de 63 maravilhosos jardins. Esse é um deles, o Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian. Fiquei tão lindo combinando com esse jardim que vou sugerir colocar uma estátua minha lá. O que acham?


Shopping Vasco da Gama, nem entrei pra não dar o cabimento. Só entraria se fosse o Shopping Flamengo.
Na Alameda dos Oceanos, próximo ao Oceanário de Lisboa, encontrei essa Laje em concreto armado bi apoiada, simplesmente fantástica. Coisa de engenheiro. Mas tinha coisa melhor pra ver.
A primeira vez que vi um Smart na vida, pensei que era de brinquedo. Mas seria um brinquedinho meio caro né?
Na faixa de estacionamento, o ‘brinquedinho’ leva uma vantagem danada. Tô pensando em comprar um pra Adriana, pra ver se os pilares da nossa garagem sofrem menos.




4 Responses
  1. Geninha Correia Says:

    Quer dizer que vc nao entrou no shopping, cuidado que quem mente Deus castiga... :)
    Sobre o carro pra sua esposa, nao a conheço mas como sou feminista vou defende_la, como é que ela vai levar pra casa todas as compras que ela faz gastando seu dinheiro? :p

  2. Anderson Azevedo Says:

    Por isso que não entrei no Shopping, ela já faz isso por mim, e com o carro pequeno não caberá tantas sacolas...kkk.

  3. Sandro Says:

    Só pra constar: O Pavilhão de Portugal, no parque da Expo 98 não é coisa de engenheiro, e sim de arquiteto, obviamente. Mais precisamente do português Álvaro Siza. Se fosse de engenheiro seria uma laje plana cheia de pilares! E é em concreto protendido.

  4. Anderson Azevedo Says:

    Olá Sandro,
    Obrigado por seu comentário e esclarecimentos aqui no blog. Na verdade, o que eu quis dizer com "coisa de engenheiro", era que, como sou engenheiro, fiquei um tempão admirando a lage, enquanto normalmente outros turistas não o fariam.
    Concordo contigo. Com o pensamento cartesiano da maioria dos meus colegas engenheiros (e também do meu), nossa laje seria bem diferente, e provavelmente como vc afirmou, plana e cheia de pilares. Nossa competência fica mesmo em tirar do papel a criatividade dos arquitetos e realizá-la.
    Um grande abraço.
    Anderson Azevedo

Postar um comentário

abcs